Gadget maneiro – Kodak Zx1

kodak-pocket[1]

Qualquer um tem um bom celular com câmera, capaz de filmar e fotografar com um desempenho básico, além das outras quase infinitas funções que esses aparelhos costumam reunir.

Apesar de ser viciado em tecnologia e adorar tudo que é novidade, nunca fui um alucinado por celulares, sempre me contentei com meu bom e velho Motorola V3, sem entrada para memória, com algumas firulas como câmera VGA, mas usado basicamente para sua função mais primitiva, telefonar.

Para mim, fotografar só mesmo com uma câmera razoável, aliás, para isso sou um pouco chato, acostumado com minhas câmeras, não gosto nem de fotografar com digitais comuns que parecem demorar um século entre o aperto do botão e o registro da imagem. Sou das antigas, cresci acionando a bobina do filme e apertando o botão depois de encontrar a velocidade e abertura ideal com o auxílio do fotômetro, depois de achar o melhor foco.

Mas confesso que é muito complicado carregar minha D80 a tiracolo para todo o lugar. Além do peso e do volume, incluindo flash, lente e outras traquitanas, é sempre arriscado exibir todo esse equipamento em qualquer lugar.

Então optei por uma Panasonic FZ-18, uma câmera digital mais simples, mas que tem uma ótima lente Leica equivalente a 28~504mm, um belo zoom, mas que tem uns “defeitos” comuns à maioria das digitais portáteis, um pequeno atraso no obturador, um sensor que gera ruído em ISOs altos dificultando fotografias em ambientes escuros e a falta de uma sapata para flash externo. Com luz natural do dia, consigo imagens fantásticas, em ambientes fechados tenho que me contentar com a falta de recursos. Mas é mais fácil de carregar, apesar de ter um volume grande, comparado com as portáteis comuns.

Mas ultimamente começou a me dar uma vontade danada de filmar cenas cotidianas, registrar momentos em que a fotografia fica limitada, como uma gracinha do meu filho, um movimento, uma voz. É possível fazer isso como a FZ-18, apesar de não filmar em HD, mas acho complicado recorrer a ela a qualquer instante, inesperado, como uma careta com vontade de encontrar um banheiro, cenas inusitadas que não podem esperar.

Queria um equipamento mais leve, que coubesse no meu bolso e pudesse me acompanhar a todo instante, sem muito volume e que ao mesmo tempo oferecesse uma boa qualidade de imagem e resistência a choques e a respingos, ou seja, uma filmadora portátil, sem frescuras.

Encontrei a Kodak ZX1 (ou ela me encontrou?). Uma câmera incrivelmente simples, fácil de carregar, ultra resistente e com uma qualidade de imagens excelente, filmando em HD com 720p a 60fps. Não é o modelo mais atual da Kodak, mas é o único disponível nesse momento no Brasil, pelo menos até chegar os novos modelos com full HD e à prova d’água prometidos para abril desse ano, provavelmente custando inicialmente o triplo do que os gringos pagam nos EUA. Numa promoção de desova para abrir espaço para o novo modelo, a ZX1 estava sendo vendida no Submarino.com a 300 paus, quase os mesmos 150 dólares de quando era oferecida nos EUA em 2008/2009. Como prefiro comprar com NF e garantia, achei uma ótima oferta.

Os defeitos são os mesmos de qualquer câmera portátil, com pouca iluminação gera ruído e queda de frames, mas com luz natural, as imagens são excelentes, muito superior a qualquer celular e câmera digital. Até dá para fotografar com resolução de 3 megapixel, mas o foco fixo não dá muito espaço para a criatividade. Melhor julgá-la como filmadora, onde realmente cumpre o que promete. Talvez seu maior problema seja a falta de um estabilizador de imagens, qualquer tremidinha na mão fica registrada. Mas em compensação tem a enorme vantagem de não chamar a atenção, permite capturar qualquer cena de forma natural, sem denunciar. Todo mundo pode ser pego enfiando o dedo no nariz, distraidamente, enquanto espera o próximo ônibus e depois virar hit no YouTube, já que o software que acompanha o equipamento permite a edição de maneira muito simplificada e a fácil disponibilização no site de vídeos.

A ZX1 tem me acompanhado nos últimos dias e tem agradado bastante. A foto abaixo do meu Homer foi tirada com ela, com uma luz fluorescente bem fraca, bastou apontar e clicar, sem nenhum outro ajuste. O ruído fica evidente, mas a praticidade compensa. Se quiser ver vídeos demonstrativos, procure no YouTube, digite ZX1 no espaço de busca, assista em 720p e se surpreenda.

2 comentários:

Anônimo disse...

Uau! Agora vou querer ver uns videos feitos por você, nao me decepcione! bjs

Blog do Velhão disse...

Nossa, quanta responsabilidade, espero mesmo não decepcionar, o problema é que agora o tempo não está ajudando muito, muita chuva.